DE MACURURÉ NA BAHIA PARA O MUNDO!

terça-feira, 11 de abril de 2017

FAMÍLIA DE PAULO AFONSO SE REVOLTA COM PROFESSORA MORTA APÓS SUPOSTA NEGLIGÊNCIA MÉDICA EM RECIFE

Déborah Alves, de 28 anos.
O corpo da professora Déborah Alves, de 28 anos, foi enterrado na tarde de domingo (9), no Cemitério Parque das Flores, em Tejipió, na Zona Oeste do Recife. Ela morreu três dias após dar à luz, no Hospital Vasco Lucena, no bairro da Boa Vista, no centro da capital, em consequência de uma infecção generalizada. Segundo os parentes da vítima, houve negligência médica durante a cesariana.  

Em nota enviada para a equipe de Redação do portal PA4.COM.BR, Ailton Soares, primo de Déborah que mora em Paulo Afonso e trabalha na Chesf na área de operação de instalações confirmou que a vítima tinha raízes na cidade: “Ela morava em Recife, mas a família é de origem Pauloafonsina!”.  

Ailton solicitou de nossa equipe a reprodução do caso que ganhou grande repercussão na mídia de Recife causando comoção e revolta entre a população da capital pernambucana.  

“Meu nome é Ailton Soares, trabalho na Chesf na área de operação de instalações, e gostaria de fazer uma denúncia sobre um possível erro médico acontecido em uma clínica do Recife nesse último final de semana que resultou na morte da minha prima Débora, após complicações pós parto! Essa matéria de possível erro médico foi veiculada na TV jornal do Recife nesse último final de semana”, relatou.  

O CASO  

Segundo a TV Jornal, a irmã de Déborah, a enfermeria Luziane Alves Pereira, disse que a educadora começou a sentir dores horas após o parto. A professora apresentou sintomas como temperatura e pressão baixas. O que a equipe médica avaliou como gases. Ainda segundo os parentes, da quarta (5) até sexta-feira (7), foram feitos exames de sangue, raio-X e ultrassom. Mas, o diagnóstico não mudou, e os médicos chegaram a suspeitar que Déborah estivesse com chicungunha

Déborah Alves, de 28 anos. (Reprodução: Facebook)

Até que foi solicitada uma tomografia que constatou a presença de líquido na barriga da professora. Déborah morreu na manhã desse sábado (8). Ela deixou marido e três filhos: a recém-nascida, uma menina de 1 ano e meio e um menino de 4 anos.  


A pedido da família, o corpo de Déborah foi periciado no Instituto de Medicina Legal (IML), em Santo Amaro, na área central do Recife. O laudo, que vai apontar se houve ou não erro médico durante a cesariana, deve sair em 30 dias. A família já formalizou uma denúncia de negligência na polícia. Por meio de nota, a direção do Hospital Vasco Lucena lamentou a morte da professora e disse que já está apurando o caso. 

Confira, na íntegra, a resposta da unidade de saúde.
 
Clique abaixo para ver reportagens da TV JORNAL de Recife e do portal UOL:

OZILDO ALVES


Postar um comentário

SEGUIDORES DO BEIRA RIO NOTÍCIAS