domingo, 23 de outubro de 2011

Chocante, mas real: Sem terra é morta e degolada pelo ex-marido em Itamaraju:

Nesta sexta-feira (21), um bárbaro crime chocou integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), no município de Itamaraju: Zenilda Souza Pereira, a “Zene”, foi assassinada por seu ex-companheiro, Walter Nunes Peixoto, o “Val”.

A noticia foi confirmada por Orlando Azevedo Júnior, presidente da Associação dos Produtores Rurais da Pedra Bonita, assentamento do MST, localizado na região do distrito de São Paulinho, interior do município de Itamaraju.

O crime aconteceu por volta das 11h de sexta-feira, numa plantação de cacau, localizada no próprio assentamento, onde a vítima, Zenilda Souza Pereira, a “Zene”, de 37 anos de idade, foi atacada por seu ex-companheiro, Walter Nunes Peixoto, o “Val”, de 36 anos, com um tiro de espingarda e dois golpes de facão.

A mulher foi atingida por um violento golpe de facão no pescoço, provocando quase a decapitação. Segundo apuraram os policiais civis Felipe Mendes e José Trindade, que foram ao local do crime fazer o levantamento cadavérico, não teria havido discussão entre vítima e o autor do homicídio.

Golpe planejado
O homem teria surpreendido a ex-companheira por traz, quando ela estava trabalhando na colheita do cacau, dando-lhe um tiro de espingarda e, na seqüência, utilizou um facão amolado para desferir os dois golpes fatais.

Uma menor, que estava em companhia de “Zene”, relatou aos policiais que correu com medo de morrer, mas que ainda teria ouvido pedidos de suplicio da vítima para não ser assassinada. Mesmo assim ele prosseguiu com seu intento criminoso e aplicou os golpes fatais.

Assim que percebeu que a ex-mulher não apresentava sinais vitais, Walter Nunes Peixoto, o “Val”,que morava numa fazenda vizinha ao Assentamento Pedra Bonita, fugiu sem deixar pistas.

O delegado Gean Nascimento, titular da Polícia Civil de Itamaraju, já instaurou inquérito policial em torno do crime e caso o homicida não se apresente nas próximas horas, deve solicitar sua prisão à Justiça. Após o levantamento cadavérico, o corpo da mulher foi removido para o Instituto Médico Legal Nina Rodrigues de Itamaraju (IML), para exames de medicina legal.

A causa mais provável para o crime seria ciúmes. Walter chegou ao Acampamento Pedra Bonita há cerca de 8 anos, quando os assentados ainda reivindicavam a terra. Mas, como as brigas eram constantes, Zenilda resolveu separar-se do companheiro, o que teria provocado ira e ciúmes por parte do criminoso. Com informações do Teixeira News, fonte: Interior Da Bahia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores